MONITORAR ESTRUTURAS DE CONCRETO PODE PROLONGAR DURABILIDADE
O monitoramento da integridade estrutural de pontes rodoviárias e ferroviárias em concreto deve ser constante para permitir a consolidação e possibilitar análise mais aprofundada dos dados auferidos. Infelizmente, segundo Tlio Nogueira Bittencourt, presidente do Instituto Brasileiro do Concreto (Ibracon), esse modelo de análise ainda não é o que acontece no Brasil.

O monitoramento, conforme destaca Bittencourt, é uma forma de garantir maior vida útil das estruturas. No caso das pontes rodoviárias, para que se obtenham dados confiáveis e mais próximos da realidade, essa análise deve persistir periodicamente e por um período de cerca de 20 dias seguidos. Para as ferroviárias, o engenheiro afirma que o período de aferição deve ser bem mais longo – de quatro a cinco meses. No monitoramento são usados sensores especiais e tecnologia de comunicação, para garantir a transferência dos dados do local analisado até os pontos de análise.

O trabalho de monitoramento, de acordo com definição do presidente do Ibracon, além de checar o comportamento estrutural e calibrar o modelo numérico da ponte, também promove a detecção de danos e a perda de desempenho a longo prazo.
Aproveite para visitar também:
Visite o Site Visite o Site
APOIO
Entidades

Mídia
Realização:
Local:
Sobratema - Associação Brasileira de Tecnologia para Construção e Mineração
Av. Francisco Matarazzo, 404 Cj 401 - Água Branca - CEP 05001-000 - São Paulo/SP - Tel. 11 3662-4159 - Fax. 11 3662-2192
sobratema@sobratema.org.br